Publicado por: horusviana | 26/06/2009

Agape

Palavra de grego, muito bonita. Significa “amor-caridade”. Fazer o bem sem saber a quem.

Não pense que ajudar o próximo pedinte da esquina, o próximo bêbado que resolver te agarrar se achando na razão, o próximo muleque que te chamar de tio) vai levar qualquer alma para o céu ou aliviar seus pecados: não vai, e você ainda paga caro por eles,  os seus, os dos próximos; você vai se arrepender até do que não fez e paga assim mesmo. Você pode achar que não merece, mas eu disse a mesma coisa.

 Eu não mereço! Pois bem, fui na padaria em frente ao meu trabalho comer qualquer coisa, quando vem um homem e fica bem próximo, de modo que ele veio a ser o “meu próximo”, mas tava meio difícil de amar ele: fedido, rasgado, chato, bêbado e … exigente!

Agarrou no meu braço, queria me tirar do balcão, me levar para fora – sei lá – para falar com ele.

–          To ouvindo senhor!

–          Mas vem cá meu amigo!

–          Pode falar aqui mesmo.

–          Você pode me dar um pão pra eu comer?

–          Sim senhor  ( não deve ter jeito de fazer cachaça de pão mesmo)

 

Dinheiro eu não dou. Imagina um pobre estar numa padaria e te pedir dinheiro pra comprar pão? Se pediu o pão, eu dou.

 

–          Moça do balcão, tem pão de sal?

–          Não.

–          Baixinho: quanto que ta esse “tatu”?

–          0,50. Tem tatu e tem provêncio.

Aí fui ver o gosto do freguês:

–          Pode ser doce, aquele bolo ali ó…

–          Bota então uns dois tatu.- a mulher botou e ia amarrando o saco.

–          ôooooo moça, VAREIA, e aquele ali, bota também, vareia – a mulher desamarrando o saco…

–          [OOOO CARALHOOOOO!!!!! VAREIA O CARALHO!] na função mudo, mas a minha cara de indignação disse mais 10 caralhos à décima potência sonora.

–          VAREIA NÃO, TÁ BOM. O SENHOR ESPERA LÁ QUE DEPOIS QUE EU PAGAR EU TE DOU – foi quando ele pensou em pensar em questionar qualquer coisa – MERMÃO, É O QUE EU POSSO, NÃO TEM VAREIA NÃO.

 

Paguei o pecado do pão e dei a ele, quando ele me abençoou com incenso de cachaça, mirou nos meus olhos, agarrou  meu braço de novo e foi-se tirando onda que nem o Jesus de “O Auto da Compadecida”  que se faz de humano pra testar as pessoas. Mas pra enxergar Jesus ali, gente, só a fé dO Próprio.

 

Dinheiro eu não dou mais nem o “seguro” do flanelinha. Aliás, pago o justo. Fui estacionar um fim de semana em umas vagas DEMARCADAS na diagonal, em um estacionamento que ERA DEScontrolado pela prefeitura e  está outra vez na mão da marginalidade, e o cara:

–          Patrão, dá pra você botar o carro mais pra lá, pra dar mais um aqui no meio…

–          …Isso …, sabendo trabalhar né chefe…!!!

 Fui e voltei em menos de 10 minutos. Tempo mais do que insuficiente para levarem meu carro sem fazer um escândalo que eu não percebesse de onde eu estava – para se ter uma idéia, eu nucnca aperto o botão que faz barulho para ativar nem desativar em público. 

O cara já tava na minha janela. Dei 0,25. O cara olhou.

[meia vaga, meio pagamento] não falei. [caralho!!!].

Anúncios

Responses

  1. maninho suas histórias são ilárias!!!!!! é por isso que eu evito ir na rua! ainda mais que nessa época parece que os “loucos” dessa cidadizinha resolveram atacar!
    bjs! saudads

    • Maninho, HILÁRIAS, HILÁRIAS, TEM H!
      e desde quando você evita ir na rua????

      Mesmo assim, valeu a participação!

  2. Caracaa!! Suas histórias são muito vareiadas!!!

    Parabéns

  3. o que é vareia?!?!

    • Ele quis dizer VARIA, põe um monte de coisa diferente. COM O MEU DINHEIRO!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: